Cadastre seu e-mail:

sábado, 27 de outubro de 2012

Refúgio - Parte 2

"Porque foste a fortaleza do pobre, e a fortaleza do necessitado, na sua angústia; refúgio contra a tempestade, e sombra contra o calor. Eis que reinará um rei com justiça, e dominarão os príncipes segundo o juízo. E será aquele homem como um esconderijo contra o vento, e um refúgio contra a tempestade, como ribeiros de águas em lugares secos, e como a sombra de uma grande rocha em terra sedenta." [Isaías 25:4; 32:1-2].

Alpinistas conhecem os benefícios de um refúgio, por mais tosco que seja, quando tempestades irrompem inesperadamente. E os habitantes de áreas desérticas quando assolados por tempestades de areia? Esses povos compreendiam perfeitamente a imagem usada na profecia acima.

A aplicação profética se refere aos eventos apocalípticos dos últimos dias. Mas existe também uma aplicação atual para os que enfrentam sofrimentos. Saber que o Senhor Jesus Cristo está perto é o que segura e sustenta os redimidos quando passam por tribulações. O Salmo 121 afirma: "O Senhor te guardará de todo o mal; guardará a tua alma" (v. 7).

Um refúgio é o melhor lugar para se estar quando a tempestade desaba. Um lugar de sombra em dias de sol escaldante e ribeiros em terras secas também. Durante nossa vida experimentamos não apenas grandes chuvas, mas pequenos e constantes problemas e preocupações, que nos pressionam ainda mais em tempos difíceis, colocando sobre nossas costas um peso esmagador. Às vezes não nos causam dores intensas, mas esgotam nossas forças e nos desen­corajam. Mas Jesus está sempre presente para proteger o coração dos Seus. Ele é a Sombra à nossa direita (Salmo 121:5).

Fonte: Devocional Boa Semente 2010

sábado, 20 de outubro de 2012

Refúgio

“Para que fuja para ali o homicida… para que vos sirvam de refúgio contra o vingador do sangue”. [Josué 20.3]

As cidades de refúgio foram dispostas de tal modo que uma pessoa poderia chegar a qualquer delas com uma jornada de meio dia. De modo semelhante, a Palavra da Salvação está bem próxima de nós. O Senhor Jesus é um Salvador bem presente, e a distância para chegarmos a Ele é pequeníssima. É necessário apenas que abandonemos nossos próprios méritos e nos apropriemos de Jesus, para que Ele seja o nosso tudo.

As estradas que conduziam às cidades de refúgio eram estritamente preservadas. Todos os rios tinham pontes, e todos os obstáculos eram removidos, de modo que o fugitivo tivesse acesso fácil à cidade. Uma vez por ano, os anciãos do povo caminhavam por essas estradas e verificavam suas condições. Eles se asseguravam de que nada impediria a fuga de alguém e o levaria a ser apanhado e morto pelo vingador de sangue.

Quão graciosamente as promessas do evangelho removem os obstáculos do caminho! Onde havia bifurcações e desvios, ali havia placas com avisos escritos: “Direção Para a Cidade de Refúgio”. Isto é uma figura do caminho que conduz a Cristo. Este caminho não é a estrada circular da lei; não envolve obediência a regras intermináveis. É uma estrada reta: “Creia e viva!” É uma estrada tão árdua que nenhum homem cheio de justiça própria pode andar por ela.

Apesar disso, é um caminho tão fácil que qualquer pecador pode, seguindo-o, encontrar o caminho para o céu. Logo que o homicida alcançava os arredores da cidade, ele estava seguro. Não era necessário que ele passasse pelos muros da cidade. Somente os subúrbios já eram suficientes para a proteção dele. Se você tão-somente tocar as orlas das vestes de Cristo, ficará completamente são (ver Mateus 9.20-22). Se você se apropriar dEle com fé “como um grão de mostarda” (Mateus 17.20), estará seguro.

Por: C.H. Spurgeon | Fontes: www.charleshaddonspurgeon.com / www.ipssp.org.br

sábado, 13 de outubro de 2012

Potes Rachados

Por: Joyce Meyer

"Possuímos este tesouro precioso [a Luz divina do Evangelho] em [frágeis, humanos] vasos de barro, para mostrar que este poder que a tudo excede provém de Deus, e não de nós." [2 Coríntios 4:7]

Deus trabalha através de vasos de barro, ou o que muitas vezes eu chamo de "potes rachados". Isto significa que somos falhos, por isso quando as pessoas olham para nós e veem coisas incríveis acontecendo, elas sabem que deve ser Deus atuando, pois certamente não poderia ser a gente. Eu acredito que alguém que realmente me conhece não tem dificuldades em perceber que o trabalho que estou fazendo na terra hoje, certamente deve ser Deus atuando em e através de mim. Eles dão a Ele a glória, e não a mim, porque eles veem as minhas imperfeições e conhecem as minhas limitações. Deus escolhe as coisas fracas e tolas de propósito para que nenhum mortal venha a ter pretensão de glória em Sua presença (I Coríntios 1:27-29).

Imagine um pote com uma lâmpada dentro e uma tampa sobre ele. Mesmo que possa ser preenchido com luz, ninguém pode ver a luz dentro dele. No entanto, se o pote está rachado, a luz vai brilhar através das rachaduras. Da mesma forma, Deus trabalha através de nossas imperfeições.

Você pode amar um pote rachado? Deus pode! É divino amar-se de uma forma equilibrada e saudável. Não é de Deus rejeitar e desprezar a si mesmo.

Oração: "Senhor, Você e eu somos bem conscientes das minhas imperfeições. Peço-Lhe que brilhe a luz através da minha vida, e saiba que você ganha cada grama de glória por isso. Amém."

Tradução: Thaísa Sterque / From the book The Confident Woman Devotional: 365 Daily Devotions by Joyce Meyer. Copyright © 2011 by Joyce Meyer. Published by FaithWords. All rights reserved.