Cadastre seu e-mail:

quinta-feira, 27 de junho de 2013

Esperando o filho que se foi

“Vinha ele longe, quando o seu pai o avistou e, 
compadecido dele, correndo o abraçou e o beijou.”
 [Lc 15.20]

Esta é uma passagem conhecida por todas as pessoas que têm contato com a Palavra de Deus. O filho estava dentro de casa desfrutando de todas as bênçãos de uma família, mas decidiu tentar curtir as aventuras da vida, pensando que a felicidade estava do lado de fora das portas da sua casa. Procurou o pai e pediu a ele que lhe desse a sua parte, a herança antecipada.

Salomão disse: “A posse antecipada de um herança no fim não será abençoada.” (Pv 20.21). Assim que recebeu, saiu de casa, na ilusão de que tudo daria certo. Só que bens materiais e dinheiro são facilmente corroídos. E foi o que aconteceu. Perdeu todos os seus bens. Seus amigos de farra se foram. Ficou só, sem provisão, num país distante, longe do amor do pai.

O pai nunca desistiu de esperar o filho de volta ao lar. Quando este voltou, arrependido, o pai o recebeu com alegria, música e farto banquete. Abraçou-o e beijou-o. Deu-lhe a melhor roupa, sandálias novas e o anel de filiação. Tudo já estava previamente preparado por aquele pai amoroso.

Quem sabe você tenha perdido tudo procurando seus prazeres carnais e esteja longe da família, da igreja e de Deus. Volte agora mesmo. A festa vai começar.

Oração: "Senhor, preciso retornar hoje mesmo ao meu lar. Creio e volto agora mesmo! Quero de volta o aconchego da minha família. Em nome de Jesus, amém!"

Fonte: http://lpc.org.br/cada-dia/

quarta-feira, 19 de junho de 2013

Deus é o Evangelho

Por: John Piper

Você já se perguntou por que o perdão de Deus é valioso? Ou, se a vida eterna é valiosa? Já se perguntou por que alguém quer ter a vida eterna? Por que desejamos viver para sempre? Estas questões são importantes por ser possível desejarmos perdão e vida eterna por motivos que comprovam que não os temos.

Por exemplo, considere o assunto do perdão. Talvez você queira o perdão de Deus por que está muito infeliz com sentimentos de culpa. Você quer alívio. Se puder crer que Deus o perdoa, você terá algum alívio, mas não necessariamente a salvação. Se quer o perdão somente por causa de alívio emocional, você não receberá o perdão de Deus. Ele não dá o seu perdão àqueles que o usam apenas para ter os dons dEle e não a Ele mesmo.

Ou, talvez, você queira ser curado de uma enfermidade ou conseguir um emprego e encontrar uma esposa. Então, você ouve que Deus pode ajudá-lo a obter estas coisas, mas que, primeiramente, seus pecados teriam de ser perdoados. Alguém o exorta a crer que Cristo morreu por seus pecados e lhe diz que, se você crer nisto, seus pecados serão perdoados. Conseqüentemente, você crê, a fim de que seja removido o obstáculo à sua saúde e consiga um emprego ou uma esposa. Isto é salvação pelo evangelho? Não creio que seja.

Em outras palavras, o que você espera receber por meio do perdão é importante. O motivo por que você deseja o perdão é importante. Se quer o perdão tão-somente por que deseja gozar da criação, então, o Criador não é honrado e você não é salvo. O perdão é precioso por uma única razão: ele o capacita a desfrutar da comunhão com Deus. Se esta não é razão por que você quer o perdão, você não o terá de maneira alguma. Deus não será usado como moeda para a compra de ídolos.

Também perguntamos: por que desejamos ter a vida eterna? Alguém pode responder: “Porque o inferno é a alternativa dolorosa”. Outro pode dizer: “Porque não haverá nenhuma tristeza no céu”. Outro pode replicar: “Meus queridos foram para o céu, e quero estar com eles”. Outros poderiam sonhar com sexo e alimentos intermináveis, ou com algo mais nobre. Em tudo isso, Alguém está ausente: Deus.

O motivo salvífico para querermos a vida eterna é apresentado em João 17.3: “E a vida eterna é esta: que te conheçam a ti, o único Deus verdadeiro, e a Jesus Cristo, a quem enviaste”. Se queremos a vida eterna por ela significar outra coisa, e não o regozijo em Deus, não teremos essa vida. Enganamos a nós mesmos dizendo que somos cristãos, se usamos o glorioso evangelho de Cristo para buscar o que amamos mais do que buscamos o próprio Cristo. As “boas-novas” não se comprovarão como boas para qualquer pessoa que não tenha a Deus como seu principal bem.

Jonathan Edwards apresentou esta verdade em um sermão à sua igreja, em 1731. Leia estas palavras lentamente e permita que elas o despertem para a verdadeira vida e o verdadeiro bem do perdão.

“Os redimidos têm todo o seu verdadeiro bem em Deus. Ele mesmo é o grande bem que possuem e desfrutam por meio da redenção. Deus é o bem mais sublime, a suma de todo o bem que Cristo adquiriu. Deus é a herança dos santos; é o quinhão da alma deles. Ele é a riqueza e o tesouro, o alimento, a vida, a habitação, o ornamento e a coroa, a glória eterna e duradoura dos santos. Eles não têm nada no céu, exceto a Deus. Ele é o grande bem no qual os crentes são recebidos na morte e para o qual eles devem ressurgir no fim do mundo. O Senhor Deus, Ele é a luz da Jerusalém celestial; é o “rio da água da vida” que corre e a “árvore da vida” que cresce “no paraíso de Deus”. As gloriosas excelências e belezas de Deus fascinarão para sempre a mente dos santos, e o amor de Deus será o deleite eterno deles. Com certeza, os redimidos desfrutarão outras alegrias. Eles se alegrarão com os anjos e uns com os outros. Mas aquilo que lhes encantará nos anjos e uns nos outros, ou em qualquer outra coisa; aquilo que lhes proporcionará deleite e felicidade será o que de Deus poderá ser visto neles.”

Oração: Ó Deus, todo-satisfatório, perdoa-nos por fazermos de teus excelentes dons um substituto para Ti. Somos tão propensos a trocar o retrato pela pessoa. Satisfaze-nos contigo mesmo. Tu prometeste na Nova Aliança: “Todos me conhecerão, desde o menor deles até ao maior”. Que este seja o nosso quinhão, agora — um tipo de conhecimento, ó Deus, que valoriza Aquele que conhecemos. Nos faça experimentar o evangelho em toda a sua plenitude, que é Cristo crucificado e ressuscitado pelos pecadores, para trazer-nos de volta a Ti. Em nome dEle, oramos. Amém.

[Fonte: Devocional "Penetrado pela Palavra", by John Piper. Quer meditar também? Acesse e baixe o seu http://consolidacaoadb.blogspot.com.br/p/material-de-apoio.html]

sábado, 15 de junho de 2013

Espere, Deus está no controle

“Jó disse: mesmo que ele me mate, 
nele esperarei...” [
Jó 13.15]

A vida de Jó é uma tremenda inspiração para todos nós. Conhecemos, nem que seja de ouvir falar, um pouco da vida e do sofrimento de Jó. Aqui, ele expressa toda a sua fé, confiança, fidelidade e esperança no Deus todo-poderoso. Jó, mesmo sendo um homem íntegro, justo e temente a Deus, não passou em branco neste mundo.

Num certo dia, “no dia mal,” ele recebeu trágicas notícias, uma após a outra: perdeu os bens, os filhos e a saúde. Seu corpo ficou cheio de chagas, que lhe causaram dores fortíssimas. Com isso aprendemos que andar com Deus, ter o Senhor Jesus em nosso coração, servir a ele apaixonadamente e cumprir sua comissão não nos isenta das tempestades e tribulações.

Estamos sujeitos a muitas aflições. No entanto, com Jesus no barco, triunfamos sobre a tempestade. Deus põe um ponto final na tempestade e nos ventos contrários. Jó permaneceu esperando em Deus na certeza que seu estado final seria incomparavelmente melhor.

Mesmo que as nuvens estejam escuras, densas, armando um grande temporal, Deus está no controle. Ele é o Deus que tem todo poder para mudar a história de nossas vidas. Espere!

-- Querido Pai, ajuda-me a crer que tu estás no controle da minha vida. Em nome de Jesus Cristo, amém!

Fonte: http://lpc.org.br/cada-dia/