Cadastre seu e-mail:

quarta-feira, 9 de março de 2011

Evangélicos cobram providências do governo sobre assassinato de cristão no Paquistão

A Aliança Evangélica Mundial divulgou nesta quarta-feira, 2, uma nota de repúdio ao cruel assassinato do ministro paquistanês para assuntos relacionados a minorias religiosas daquele país, Shahbaz Bhatti, apelando às autoridades governamentais que punam os responsáveis pelo crime.

O secretário geral da entidade, Geoff Tunnicliffe, afirmou ainda que “o mundo perdeu um campeão da defesa da liberdade religiosa e dos direitos humanos”. Disse também que a Aliança reconhece o valor da iniciativa do presidente paquistanês, Asif Ali Zardari de criação do Ministério para defender as minorias e a nomeação de um ministro de uma comunidade de minoria religiosa. Ele elogia o fato do presidente ter condenado energicamente a ação dos assassinos de Bhatti. Mas, segundo o dirigente, o governo do Paquistão deve homenagear o trabalho pioneiro do Ministro e sua memória, “garantindo a rápida nomeação de outro defensor das minorias, para construir em cima de tudo o que ele realizou”.

Ministro Bhatti era o único cristão no primeiro escalão do governo paquistanês. Ele foi um crítico da Lei da Blasfêmia e trabalhava pelo seu fim. Segundo ele, a lei da blasfêmia, que prevê a pena de morte para quem ofenda o islã, era usada para perseguir minorias religiosas.

Bilhete deixado pelos assassinos rotularam o ministro como um dos "infiéis cristãos", inclusive citando sua oposição à Lei da Blasfêmia como motivo de seu assassinato.

O fato ressalta o perigo que as minorias religiosas no Paquistão estão enfrentando em decorrência desta Lei e a cultura de animosidade que ela promove no país.

Fonte: Agência Soma

Nenhum comentário:

Postar um comentário